16.3.11

Onicofagia - Você sabe o que é? Como tratar???

Boa tarde amorecos!!!!

Como vão vocês??? Eu to correndo demais nos ultimos dias!!! Looooooogo chegam as férias ^^

Hoje vim falar de um assunto mais sério, que pode parecer bobagem. (Respira que o post é longo!!!)

Onicofagia





Onicofagia, onychophagria, onychophagy.
Este é o termo médico dado ao ato de roer as unhas.

Como algumas de vocês já sabem, eu tenho uma filhinha, liiiiinda, de 5 anos, e de uns meses pra cá, ela começou a roer MUITO as unhas. Eu posso dizer que também já roí minhas unhas, quando tinha 11 ou 12 anos tive uma infecção phoda por causa disso e parei. (só quando a água bate na bunda né?)
Pesquisei a fundo sobre o assunto e vim aqui dividir com vocês!

Causas:· Uma perturbação persistente do ambiente familiar, tenções entre as crianças e os pais, podem levá-la a roer as unhas ou a chuchar no dedo;
· As crianças muito expansivas que são muito controladas pelos pais muitas vezes roem as unhas;
· As crianças solicitadas ou regradas compensam a impossibilidade de exteriorizar os próprios sentimentos roendo as unhas;
· Este comportamento também pode ser devido a uma cólera reprimida, dirigida não contra os outros mas sim contra si mesmo;
· O fato de roer as unhas até sangrarem pode ser considerada uma forma se masoquismo;
· Está ligado a uma forma de insegurança em relação aos outros;
· Nervosismo e tensão também são causas para este comportamento.

(minha filha creio que se encaixa no fato de ser muito expansiva. Ô menina hiperativa! Ela fala até dormindo gente!!! Alem disso, creio que, por ser filha única, ela fique muito ansiosa e entediada!)


Efeitos Colaterais Nocivos:
Roer unhas pode resultar num transporte de germes que vivem embaixo da superfície da unha até a boca. De fato, as ferramentas usadas por manicures potencialmente afetam o humano de modo similar. Se essas ferramentas forem utilizadas em pessoas diferentes, elas podem espalhar fungos, bactérias ou vírus. Como muitos patógenos têm a habilidade de viver dentro da unha, o hábito de roer unhas pode potencializar as chances de danos à saúde.
Um roedor de unhas compulsivo pode roer não só a unha, mas também a pele ao seu redor e a cutícula, possivelmente rompendo a pele. Uma pele rompida é suscetível a infecções oportunistas de micróbios e vírus. Esses patógenos podem se espalhar entre os dedos pela boca.
Roer unhas também pode ser negativo por restringir o uso das mãos. Um roedor de unhas compulsivo pode ter sua habilidade para trabalhar restringida (por exemplo, escrever, digitar, desenhar, tocar instrumentos de corda, dirigir) por causa dos estragos feitos às unhas ou à pele em volta.
Um longo hábito de roer unhas pode ocasionar desgaste do esmalte dos dentes incisivos, podendo gerar cáries nessas áreas.

Tratamento:
A onicofagia é, geralmente, substituída após a adolescência por hábito de mordiscar o lábio, morder lápis e outros objetos, coçar o nariz, enrolar o cabelo. Nos adultos o hábito de fumar e/ou mascar chicletes é o substituto mais comum, pois são maneiras ou métodos sociais aceitáveis e de gratificação oral. Na realidade podem ser considerados boas maneiras de transferência do hábito de onicofagia. 
O importante é não reprimir o hábito e não castigar a criança, pois se a mesma perceber que, por meio do hábito, consegue chamar a atenção dos pais cada vez que coloca a mão na boca, certamente o fará mais e mais vezes, pois passa a ser o centro das atenções. A repressão, nestes casos, funciona como um “pedido” para  que a  criança fixar o hábito e não eliminá-lo. Da mesma maneira,  a  contradição, bem como a insistência sobre um mesmo assunto, como no caso de pais que fumam ou bebem e insistem para o filho abandonar um determinado hábito, dizendo que isso ou aquilo faz mal à saúde, devem ser evitados.
Na  onicofagia como em qualquer hábito bucal, os seguintes critérios devem ser usados: idade do onicófago, intensidade, freqüência da ação, situação em que ocorre e situação emocional.
os casos suaves de onicofagia, geralmente, não é indicado qualquer tratamento. Nos casos severos, o tratamento a ser instituído deve ser a remoção dos fatores emocionais que levam ao hábito (situação de excitamento, super estimulação, infelicidade e ócio ou falta do que fazer), uma vez que na maioria dos casos, a única medida necessária é um pouco mais de atenção, afeto e compreensão.
A punição verbal ou física, pode conduzir os onicófagos a conflitos sociais e a sentimento de culpa. Em última instância, a educação dos pais pode ser o melhor tratamento para estas casos.
Manter sempre as unhas bem cortadas é mais uma atitude útil, evitando que pontas mal aparadas sirvam como tentação para o roedor. Portanto, recursos como lixar, polir e pintar as unhas das meninas em uma manicure, não pessoas da família, “cara e sofisticada” pode ter efeito positivo e surpreendente. Por outro lado, os meninos podem cobrir os dedos com uma bandagem e, seu amigos entender que tal “curativo” é para tratamento de injúrias e não para a onicofagia.





Produtos que podem ajudar:

Unhas postiças, tanto em adultos quanto em crianças! Claro, ninguem vai comer unha postiça (ou vai?o.O). Alem disso, fica bonito, a criança ou adulto vai ter dó.


A Impala te uma linha completa de tratamento para unhas, entre os produtos está este Inibidor. Comprei hoje pra minha pequena, claro que testei em mim primeiro, e não é horrivel, é só um pouco amargo, faz com que a criança associe o habito de roer unhas com uma coisa ruim.




Aaaaacho que ta bom né? Depois eu conto pra vocês se deu certo ^^


(se a Irizinha deixar, eu ponho aqui a evolução das unhas dela)


17 comentários:

Jú Vasconcelos disse...

Ultimamente tenho conseguido ficar longe desse vício, apenas mantendo as unhas sempre pintadas, mas quando a ansiedade ataca, fica difícil de controlar...

RUDYNALVA disse...

é cada nome, cruzes!! Mas esse parece com o vício advindo dele!! Horroroso!
Deve ser algo compulsivo para quem tem, né? Nunca tive, mas entendo que todo vício é complicado...
Boa sorte para quem tem e está conseguindo controlar.
cheirinhos
Rudy

Cinthia Mendes disse...

Antes eu roia mas aprendi e consigo deixa-las crescer, que me ajudou foi começar e cuidar delas ..pinta-las sempre..dai como diz minha mamis amadureci..bjs

cabelolisoptbrasil disse...

Eu não sabia...
Ler e aprender...
Excelente
Voltarei aqui outras vezes para saber das novidades

Já sou a sua mais nova seguidora

Faça uma visita no meu Blog, esta rolando um sorteio.

Bjux
Cris

Ana Paula Ruggini Zarpelon disse...

Até quatro meses eu era uma "onicofágica"! kkk Roia minhas unhas quase até o talo!! ECA!!!! rs Tudo devido a minha ENORME ansiedade, mas comecei a fazer terapia e tomar florais!! Minhas unhas estão lindinhas!! rs
É outra coisa...unha roída é vergonhoso!rs Mas não são somente as anônimas que sofrem com isso, sei de atrizes com o mesmo problema: Cléo Pires é uma!!

Abraços!

Mila Campos disse...

Tá aí uma coisa que nao sabia naum!
Inda bem que nunca maltratei minhas unhas.. rs

Bj

Blog da Tarde disse...

Queridaa, que dica show!!
Post muito legal!


DA UMA PASSADINHA LÁ TEM COISA NOVA: http://blogdatardee.blogspot.com/2011/03/tudo-de-onca.html

Marta Ribeiro disse...

Amiga, etá nome estranho mas eu tenho isso de uns 6 meses pra casa vou roendo ,mas jogo fora , tiro até as pelinhas envolta da unha (tá um desastre), já tente de tudo e nada ,o mais interessante que só faço isso quando estou vendo TV,pode? ninguém merece ,acho que vou procurar ajuda , o que me indicam?????
bjs.

Flávia disse...

Eu sempre rói as unhas. Não deixava nem quando minha mãe prometia esmaltá-las. Fui parar quando comecei a trabalhar, num caixa de supermercado, dai eu tinha nojo por conta de mexer com dinheiro hahahaha
Depois usei aparelho nos dentes, e ai que a coisa ficou mais dificil ainda. Meu filho tem 6 anos, e desde pequenininho ele roía as unhas. Parou sozinho, disse que foi pra poder unhar os meninos que vem brigar com ele rs

Samantha Luana disse...

Eu trabalhei em uma empresa que o gerente roía os as unhas, e os dedos, vivia com curativos, era horrível.Eu sou filha única, e sou muitooo anciosa!

bjuxxx

JULIANA DALCICO disse...

muito legallll

que unhas horriveis aquelas da foto ne afe

eu tb roí unhas muuuuitos anos da minha vida, mas me livrei desse mal,...

beijos
ju
www.vernizdavez.blogspot.com

Larissa Abritta disse...

Adoreii! Roer unha é o fim msm ...
Já to seguindo ..
http://www.batombasico.blogspot.com/

Isabel Marques disse...

Esse é um mal que me persegue... tenho 45 anos e não consigo parar, é vergonhoso eu sei... mas é algo impulsivo, quando se vê lá se foi a unha... dizem que unhas e cabelos continuam a crescer depois que passamos dessa pra uma melhor, vai ver ainda consigo ter unhas compridas, neahh! haha...

Hestia disse...

Nossa, eu tinha essa mania e não sabia que tinha esse nome feio! Sofri muito..minhas unhas davam pena..viviam no sangue! Com muita força de vontade de alguns produtinhos hoje eu não tenho mais unhas feias ;)

Monica disse...

Nunca roi as unhas, a vaidade não permitia. Espero que sua pequena consiga parar!

Izabel Borges disse...

Acho que não só eu, mas quase todo mundo têm ou já teve isso na vida. O estresse e a ansiedade das pessoas andam tão evidentes hoje em dia... Tem que ter força de vontade para conseguir parar.

Diy Espíndola disse...

Já fui roedora compulsiva de unhas também, um horror!

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Followers